Maggots Motherfuckers ↓

Translate/Tradutor

Visualizações do blog:

25 de mai de 2011

Um ano da morte de Paul Gray


Por motivos pessoais não pude postar ontem, então hoje eu faço uma pequena dedicatória ao maior baixista que já vi, que pra mim é uma lição de vida, de apreendizado e persistência, apesar dos dificeis obstáculos impostos pela vida.
Paul Dedrick Gray teve uma vida dificil, cheia de dificuldades... teve problemas com as drogas, com o álcool, mas ele deu a volta por cima e se recompôs. E foi a partir daí, que por volta de 1993, juntamente com Shawn Crahan 'Clown', os dois formaram a maior banda de nu-metal\ deathmetal\ da história do mundo, o nosso eterno e insubstituível Slipknot.

Sem Paul e Shawn, o Slipknot jamais teriam nascido, muito menos existido... eles foram quem idealizaram toda a banda, tendo como fundamento que essa idéia tenha partido originalmente de Paul, a idéia de formar uma banda. E foi um trabalho que ele cumpriu muito bem, incrivelmente bem. Além de ótimo baixista, Paul também era um ótimo compositor sendo que ele compos a maioria das músicas, mas pouca gente sabe disso... frase que foi dita por Corey Taylor, semanas após a morte de Gray, com o objetivo de espalhar essa notícia e assim, dar a ele (Paul) o devido reconhecimento e consideração, como um dos principais compositores do Slipknot.

Pela história de vida que sei do Paul, tenho plena consciência de que ele era extremamente comprometido com a banda, de que o Knot era tudo pra ele profissionalmente, de que ele era o 1º a chegar aos ensaios e o último a sair, devido à preocupação que ele tinha em fazer do Slip uma banda bem sucedida, quando o Slipknot ainda estava em seus primórdios, dando seus primeiros passos rumo ao sucesso. Além da extrema preocupação com a banda, Paul importava-se muito com as pessoas ao seu redor, era uma pessoa muito importante na vida de muita gente, pelo fato de estar sempre ao lado de quem precisasse de ajuda, de estar sempre pronto para ajudar. Essa era uma qualidade que eu admirava muito no Paul: a sua preocupação com as pessoas ao seu redor, tanto da familia, quanto da banda. No geral.

E com tudo isso, chego à conclusão de que é exatamente como o Corey disse: "O Paul era a essência do Slipknot. Ele era uma grande peça do jogo" e eu faço as palavras de Taylor, as minhas. Mas apesar da triste fatalidade ocorrida com Paul, acho que a banda não pode parar... e deve tirar forças dessa dor para prosseguir, pois tenho certeza absoluta de que essa é a vontade de Paul, mesmo em outro mundo.


Com todo esse conhecimento e admiração que tenho sobre o Paul, esse baixista, compositor e músico inigualável que ele foi, tiro como conclusãod e que mesmo com Donnie em seu lugar, a banda nunca mais será mesma pois Gray era uma grande peça do jogo, uma peça insubstituível, mas essa peça foi mudada, foi substituída. E com peças diferentes, o jogo fica diferente.
É o que eu penso.

O mundo ainda sente a sua falta, Paul Dedrick Gray.
                                             † 1972 - 2010 †



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Digite o seu comentário sobre a postagem acima e em seguida clique em "Publicar". #Palavrões são liberados.